sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Futsal: Formação: Entrevista a Nuno Barros

Postado Por: with Sem Comentarios
Iniciamos ontem um ciclo de entrevistas no âmbito da nossa formação. O primeiro entrevistado é o capitão da equipa Júnior, Nuno Barros.

Quem acompanha o futsal do belenenses já se habituou a ver a tua cara. Há quantos anos andas aqui?
Desde os 13 anos, há 6 anos atrás.

Conheces os cantos à casa! Porquê o Belenenses?
Comecei por conhecer o Belenenses através do meu irmão, que foi cá jogador e gostei. Acho que é um Clube como muita honra e que nos dá excelentes condições de trabalho, não só a nível de treinos como também a qualidade das equipas técnicas.

Na altura em que o Pedro Barros jogava, o nível ainda não era o mesmo…
Claro que não, mas deram-me a oportunidade de integrar a equipa juvenil sendo ainda iniciado, o que me permitiu evoluir alguma coisa na altura.

E na época seguinte tens a "sorte" de ficar inserido numa "geração de ouro"... O que recordas dessa altura?
Apenas bons momentos, porque os maus foram tão raros que me passaram ao lado. Penso que foi um ano muito bom com uma qualidade acima da média mas que na altura poderia ter sido aproveitado de melhor forma a nível de resultados.

Dois anos intensos, os de juvenil.
Muito, foram duas espocas que trabalhámos e bem por “algo mais” mas que infelizmente não conseguimos.

Mas muitos conseguiram uma evolução que vos levou á equipa Júnior... Outros ficaram pelo caminho. Eram piores os que ficaram pelo caminho?
Não é a questão de serem piores… Quem vive no mundo do futsal sabe que existem jogadores com mais qualidade do que outros, mas com esforço e dedicação podemos evoluir muito. Neste caso os que foram ficando pelo caminho penso que não foi por falta de qualidade mas sim por falta de dedicação.

Foste seguindo o teu caminho... Significativo o facto de no final do teu percurso como juvenil e no início da temporada seguinte teres iniciado a época inserido na equipa sénior, ainda como 1º ano de Júnior. Sentiste o peso da responsabilidade?
Claro que sim, muito. Penso que é um orgulho para qualquer jogador ter essa oportunidade, e sinto que me esforcei para aproveitar essa oportunidade que me deram, umas vezes correu melhor outras pior, mas penso que apesar de ser uma grande responsabilidade, eu soube manter a postura e não defraudei ninguém.

Oportunidade de disputar bons torneios de pré-época contra "monstros do futsal", italianos, espanhóis, russos, brasileiros, todos de seleção... E o Barros ali a bater neles... Tinhas sonhado?
Penso que qualquer jogador sonha jogar em grandes palcos com grandes jogadores. Encheu-me de orgulho o facto de isso ter acontecido tão cedo. Se aconteceu foi porque acharam que eu tinha algum valor, mas nunca pensei que algo assim fosse acontecer tão cedo. Andava nas nuvens

E depois? Sentiste que essa época foi desaproveitada, muito pelas lesões que foste tendo durante a época?
Sim para mim muito, o primeiro ano de Júnior é muito importante porque ao vir de um escalão inferior tudo muda, o ritmo, a maneira de jogar, a preparação física, tudo… e penso que se tivesse tido uma época em condições físicas poderia ter evoluído mais e tornar-me melhor jogador. Teria sido um ano de afirmação e devido às lesões não o consegui.

Mas tiveste sempre a confiança dos responsáveis, sempre acreditaram.
Sim, nunca desistiram de mim. Aliás apoiaram-me em todos os aspetos.

Inclusive o Alípio Matos, que te almejava grande futuro.
Ouvir isso é um orgulho para mim, porque trata-se de um homem que sabe o que é realmente o futsal e acho que é uma coisa que qualquer jogador de futsal gostava de ouvir.

Mesmo assim, no meio de muitas lesões, a época ainda foi positiva. Mais uma vez vice-campeão distrital e taça nacional… E mais uma vez 2º. Soube a pouco?
Não soube a pouco aliás até foi muito bom mas penso que eu poderia ter ajudado mais a equipa se as lesões não tivessem surgido. Penso que foi muito positiva a época mas poderia ter sido bem melhor. Afinal os únicos a fazer frente ao Campeão Nacional eramos nós. Penso que coletivamente foi muito bom. A equipa manteve-se unida até ao fim, pese embora as falhas individuais que teimavam em existir sempre nas alturas decisivas. Faltou experiência, talvez.

O Dario fez falta? A saída dele desfalcou a equipa?
Sim penso que era um jogador com muita qualidade e que era mais uma grande ajuda para o sucesso. Mas infelizmente teve de sair, foi embora para Paris… e mesmo assim a equipa manteve-se firme ate ao fim.

Virar a página. Objectivos bem definidos. O que esperas?
Espero atingir os objetivos que traçamos logo desde início. Espero ser Campeão Distrital e Nacional! Temos muita qualidade individual e coletiva. A equipa está-se a tornar cada vez mais forte. Se nos mantivermos assim unidos até ao fim estou confiante que conseguiremos atingir esses objetivos. Esta época, temos mais condições a nível de treinos o que é muito importante e penso que vamos no bom caminho.

Nota-se que este grupo é muito forte e é muito unido. Dá gosto ver. Como se faz para conseguir isso?
Penso que temos de impor alguns limites não dentro de campo mas sim fora dele, como evitar saídas á noite antes de jogos, descansar bem, ter algum juízo, etc., etc.. Dentro de campo temos de nos aplicar em todos os treinos, com esforço dedicação e orgulho em jogar no Belenenses. Se o fizermos “abraçados” fica mais fácil. Há alguém que diz que não temos que andar sempre aos beijos, mas que ajuda, lá isso ajuda. Não tem muita explicação pois é algo que se sente. Eu como capitão confio muito nesta equipa.

Capitão. Carregas uma responsabilidade grande. Essa braçadeira já tem tradição.
Sim e espero conseguir representar bem e honrar esta braçadeira em todos os aspetos.

A Selecção Distrital entusiasma-te?
Muito. A palavra Selecção implica que sejam escolhidos os melhores, por isso penso que devia ser o objetivo de todos os jogadores. Eu espero conseguir.

E a Nacional?
Ainda mais, acho que todos se esforçam para conseguir atingir essa grande responsabilidade, apenas os melhores lá chegam. Será uma felicidade muito grande se um dia vier a jogar pela Seleção Nacional.

Já te imaginas como Sénior? Onde sonhaste jogar "quando fores grande"?
Sim penso que este ano de Júnior vai ser fundamental para me conseguir integrar na equipa Sénior. Espero continuar no Belenenses porque para além de ser o Clube onde eu me sinto bem a jogar e onde sempre me apoiaram, tenciono retribuir todo esse apoio e ajudar a prestigiar o Clube. Por isso custa-me um pouco a entender algumas coisas que aconteceram este final de época. No meu caso pessoal, e sem ter que julgar ninguém nem estar a engraxar ninguém, se o Belenenses quisesse que eu cá ficasse no próximo ano assinaria já de cruz. Deveria ser uma honra para todos os que por aqui passaram.

Como vês o futsal em Portugal? Ambicionas ser profissional de futsal?
Sim quero seguir carreira como jogador, mesmo que não seja profissionalmente. Penso que tem havido uma grande evolução ao nível do futsal de formação, e tem-se visto que cada vez mais as equipas apostam na formação.

Não achas que essa aposta tem a ver com a menor capacidade financeira dos clubes?
Pode ser. Mas a verdade é que têm apostado na formação e têm surgido excelentes jogadores jovens.

Tens algum ídolo?
Tenho. O Tatu, jogador do Dínamo de Moscovo. Português gosto do Pedro Costa.

Qual o melhor jogador com quem jogaste?
Bruno Pinto, sem dúvida.

Não tiveste muitos treinadores. Qual o que mais te ajudou?
Penso que o Bruno Silva terá sido o que me fez evoluir mais, no início. Mas sem dúvida o Carlos Teixeira foi quem fez de mim jogador.

Um 5 teu?
GR: Miguel Carvalho; Eu, Bruno Pinto, Pauleta e Hugo Eduardo.

Percebe-se que fora de campo és um jovem que cuida da imagem. És vaidoso?
Sou um pouco… alguns dizem que muito. Preocupo-me bastante com a minha imagem. Para mim uma boa vestimenta e muitos acessórios são essenciais. Mas não vejo o que possa ter isso de prejudicial…(risos)

Ser jogador ajuda no cenário para as miúdas?
Claro. Penso que é um ponto a favor.

Ganhou-se um belenense?
Sim, o Belenenses tornou-se para mim um grande clube, e pelo qual vou sempre torcer.

Palavra aos adeptos...
Apenas um grande agradecimento por estarem sempre presentes e que continuem a torcer por nós porque acredito que temos muitas alegrias para dar.

Agradecimentos...
À minha família que têm apoiado sempre. E a todos os membros do Belenenses futsal que me têm apoiado e ajudado a crescer.
Achei o texto acima:
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

0 Comentário/s:

Enviar um comentário