domingo, 25 de novembro de 2012

Futsal: Crónica do Torpedos - Belenenses

Postado Por: with Sem Comentarios
A equipa sénior de futsal do Belenenses derrotou esta tarde a formação dos Torpedos por 7-1, em jogo da 6ª jornada do Campeonato Nacional da II Divisão – Série B, disputado no Pavilhão Municipal do Bairro da Boavista, mantendo deste modo a liderança isolada da classificação.

Como tem sido habitual, o técnico João Freitas Pinto repetiu, pela sétima vez consecutiva, o cinco inicial da nossa equipa, com Roger na baliza e Cautela, Tiago Carvalho, Bruno Pinto e Drula como jogadores de campo.

Num pavilhão com um piso escorregadio, devido ao mau tempo, a formação do Belenenses entrou bem na partida, inaugurando o marcador logo no minuto inaugural, por intermédio de Tiago Carvalho, na recarga a um primeiro remate de meia-distância do mesmo Tiago Carvalho, na sequência de um pontapé de canto.

A supremacia da nossa equipa nos minutos iniciais poderia ter tido mais expressão no marcador, caso Tiago Carvalho, aos 4 minutos, e Drula, aos 5 minutos, não tivessem falhado o golo quando tinham tudo para ampliar o resultado.

Aos 8 minutos, Osvaldo, depois de perder a bola perto da sua área, procurou evitar o golo da equipa contrária com a mão, cometendo grande penalidade e vendo o respectivo cartão vermelho. Na marcação da grande penalidade, a equipa adversária restabeleceu a igualdade no marcador.

Com o piso escorregadio e com uma dupla de arbitragem a assinalar falta em todos os lances em que um jogador ia ao chão, não foi surpresa que aos 11 minutos, as duas equipas já tivessem averbado cinco faltas.

Não foi surpresa que, aos 12 minutos, a equipa da casa tivesse cometido a sexta falta, com o Belenenses a beneficiar de um livre de 10 metros. Chamado a converter, Bruno Pinto não perdoou e colocou o Belenenses novamente na frente do marcador.

No minuto seguinte, novo livre de 10 metros a beneficiar o Belenenses, mas desta vez Bruno Pinto permitiu a defesa ao guarda-redes adversário.

O Belenenses dominava o jogo, com muita personalidade, fazendo uma posse de bola muito eficaz, não permitindo ao adversário dispor de lances de perigo, sendo a excepção um lance ocorrido aos 14 minutos, que permitiu a Roger brilhar, com uma defesa fantástica, praticamente no único lance onde foi chamado a intervir.

Aos 17 minutos, num lance de belo efeito, Cautela com um passe picado de quase trinta metros isola Rúben Simões para uma emenda simples mas eficaz, fazendo o 1-3 no marcador.

Quando todos esperavam o intervalo, foi a vez da formação dos Torpedos, orientada por Manuel Jorge, técnico do Belenenses durante quatro épocas, beneficiar de um livre de 10 metros, com apenas dois segundos por jogar, mas Marco Mateus evitou o golo com uma bela intervenção.

Com o Belenenses a vencer por 3-1 ao intervalo, esperava-se ainda alguma reacção do adversário na segunda parte, mas a nossa equipa surgiu ainda mais concentrada, com muita posse de bola, com muita concentração, jogando pelo seguro e não permitindo ao adversário ter posse de bola nem dispor de lances de perigo, explorando ainda o erro do adversário para saídas rápidas para o contra-ataque.

Foi num desses lances que Drula, aos 25 minutos elevou para 4-1, respondendo com um remate de meia-distância a uma assistência de Zé Daniel, numa saída rápida de contra-ataque.

Este golo matou o jogo, com a formação da casa a ser impotente para contrariar o jogo da nossa equipa, que continuou a desperdiçar golos, com destaque para uma perdida de Amarante em cima da baliza contrária, aos 28 minutos, e para duas perdidas de Bruno Pinto no mesmo minuto. Estavam decorridos 34 minutos. Aos 35 minutos, nova jogada de contra-ataque do Belenenses, com Cautela a assistir Rúben Simões para o 5-1 no marcador.

A equipa dos Torpedos procurou reagir a este golo com a introdução do 5x4, mas o técnico João Freitas Pinto respondeu na mesma moeda, tendo na primeira posse de bola no 5x4 gasto mais de dois minutos a circular a bola sem que o adversário conseguisse evitar o passar do relógio.

Uma recuperação de bola de Bruno Pinto junta da nossa área, permitiu um remate de trinta metros para uma baliza deserta, elevando o marcador para 6-1, quando estavam decorridos 37 minutos.

O jogo não terminaria sem o 7-1 no marcador, da autoria de Rúben Simões, na sequência de um contra-ataque, já no minuto final do encontro, sendo que, no último segundo de jogo, a formação da casa beneficiou de um livre de 10 metros, que desperdiçou, com um remate muito ao lado da baliza à guarda de Marco Mateus, que actuou toda a segunda parte no lugar de Roger.

Com este resultado dilatado, fruto da exibição mais personalizada e com melhor posse de bola da temporada, a equipa do Belenenses conservou o primeiro lugar isolado no campeonato, contando por vitórias os seis jogos já disputados na competição, tendo mesmo ampliado a vantagem na classificação para alguns dos concorrentes mais directos na competição.

O Belenenses alinhou com: Roger (Gr); Cautela, Tiago Carvalho (1 Golo), Bruno Pinto (2 Golos) e Drula (1 Golo).
Jogaram ainda: Marco Mateus (Gr); Osvaldo, Célio, Zé Daniel, Amarante e Rúben Simões (3 Golos). Leandro, com problemas físicos, não alinhou no encontro.

Resultado Final:
Torpedos 1 – 7 Belenenses
Achei o texto acima:
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

0 Comentário/s:

Enviar um comentário