segunda-feira, 13 de maio de 2013

Trofense garante manutenção apesar da derrota com o Belenenses

Postado Por: with Sem Comentarios
O Trofense assegurou ontem a manutenção na II Liga de futebol, na 41.ª e penúltima jornada, apesar da derrota em casa com o já campeão Belenenses, que regressou aos triunfos após dois jogos sem ganhar.

Paulinho (35') marcou para o Trofense, enquanto Rambé (45') e Kay (48') foram os autores dos golos de um Belenenses que já garantiu, há muito, a subida ao principal escalão do futebol português estando em casa de uma equipa a quem apenas bastava um empate para garantir a manutenção na II Liga sem depender de terceiros.

O treinador dos lisboetas, Mitchell van der Gaag, nem sequer levou à Trofa muitos dos seus habituais titulares, como Fredy, Duarte, Tiago Caeiro e Diakité. No banco também ficaram Nélson, Desmarets e Eridson.

Já o Trofense apostou tudo no ''onze'', apenas tendo sido obrigado, face à última jornada (empate 1-1 em Santa Maria da Feira) a substituir o guarda-redes e um dos centrais uma vez que Conrado e André Coelho cumpriram castigo. Para os seus lugares, entraram Marco Gonçalves e Matheus.

Na primeira parte as situações de perigos resumiram-se aos dois golos marcados. Primeiro adiantou-se o conjunto trofense por intermédio de Paulinho que fez um ''chapéu'' a Matt Jones, após passe de Hélder Sousa. O Belenenses acabaria por empatar antes do intervalo, aos 45, por Rambé, de cabeça, após assistência de Arsénio.

A segunda parte começou com a ''reviravolta'' no marcador que beneficiou os homens de Belém: Kay fez o segundo, também de cabeça, aproveitando a desatenção de Hebert Santos.

A equipa orientada por Micael Sequeira reagiu mal à desvantagem e mostrou-se nervosa. Foi, aliás, o Belenenses quem primeiro esteve perto do golo, aos 55, com Arsénio a obrigar Gonçalves a uma grande defesa.

Mas o Trofense acabou por ser a equipa mais atacante dentro de campo, falhando, no entanto, a finalização.

Destaque para as tentativas de Paulinho (66') que apontou à malha lateral esquerda, após passe de Tiago Lopes, bem como de Gomis que sozinho e de frente para a baliza permitiu a defesa do guardião do Restelo (76').

Os locais ainda reclamaram duas grandes penalidades não assinaladas, sobre Gomis aos 85, e Romeu Torres, aos 90, mas o juiz bracarense Manuel Mota mandou seguir o lance.

Apesar da derrota, o Trofense garantiu a manutenção a uma jornada do final do campeonato, uma vez que o Sporting da Covilhã, adversário direto na luta pela permanência, empatou, em casa, a zero, com a Naval 1.º de Maio, deixando de ter possibilidades, matematicamente, de alcançar os trofenses.
Achei o texto acima:
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

0 Comentário/s:

Enviar um comentário