quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Iniciados: André Venâncio em entrevista

Postado Por: with Sem Comentarios
Importa potenciar as características e qualidades destes jovens, dotando-os das ferramentas necessárias para que possam continuar no Clube e chegar à equipa principal (sic). Fomos conhecer André Venâncio, líder da equipa técnica dos iniciados do Belenenses, de 31 anos, Nível II de Treinador, Licenciado em Ciências do Desporto pela Faculdade de Motricidade Humana, hoje em dia de grande entrevista.

Temos como objectivo dar a conhecer a pessoa e o treinador. Começando por uma biografia no mundo do futebol, fale-nos do seu percurso, desde o início. Começou como jogador? Se sim, por onde passou?
Como jogador fiz formação como praticante de Desporto Escolar no Colégio Valsassina até aos Iniciados, no CDUL até aos Juvenis, e no CAC dos Juniores aos Séniores. Habitualmente joguei como Avançado, alternando entre Extremo-Direito, Esquerdo e Ponta-de-Lança.

Começou como treinador nos escalões jovens do CAC, em 2003, a meio do seu curso na Faculdade de Motricidade Humana. Como se proporcionou essa oportunidade?
No 2º ano da faculdade conjugava a vida académica com a desportiva, nos séniores do CAC. O treinador dos Infantis A do CAC na altura, e ex-colega de equipa, Rui Reis, convidou-me a liderar a equipa de Infantis de 7 do CAC (Infantis B), o que aceitei de imediato. Dei assim continuidade à paixão pelo futebol, dando início a uma nova fase, agora como treinador.

Deu para conciliar bem as duas frentes, a académica e a de treinador no CAC?
Sim, claramente. Comecei a pôr em prática não só as minhas crenças, como a aprendizagem obtida no curso, e foi fácil conciliar tudo porque os horários assim o permitiam. Tratou-se de um ano bastante enriquecedor. Mais tarde, vim a treinar esses jogadores, que na altura eram Infantis de 1º ano, já como Juvenis, e notei que valorizaram bastante essa primeira experiência.

Mais tarde, em 2008, foi Coordenador Técnico e Treinador na Academia Sportinguista, sucursal de Samora Correia. Como é que isso aconteceu?
Depois de 2 anos no CAC, como treinador dos Infantis B, surgiu a oportunidade, em 2005/2006, de estagiar como adjunto na Academia Sporting, em Alcochete. Foi um ano bastante positivo, pela experiência em si, mas sobretudo pelas qualidades humanas e técnicas dos treinadores com quem privei, em todos os momentos dessa época. Um desses treinadores, o Professor Luis Dias, actualmente Coordenador Técnico do Departamento de Futebol Infantil do Sporting Clube de Portugal, em Setembro de 2008 contactou-me com um convite para coordenar um projecto seu, a formação de uma Escola Academia Sporting em Samora Correia. O desafio era grande e motivador, por isso o abracei.

É lógico pensar que a experiência aí acumulada tenha sido decisiva para o convite que recebeu no ano transacto, para ser Coordenador Técnico do Departamento de Futebol Infantil do Belenenses. Antes disso havia algum contacto ou ligação ao Clube?
De facto, 4 anos de coordenação técnica é algo que traz bastante experiência, fundamentalmente ao nível de garantir outra perspectiva sobre treino e liderança. Considero essa experiência como decisiva na hora de escolher o Coordenador Técnico de uma estrutura como a do Clube de Futebol "Os Belenenses". Houve essa oportunidade e aceitei o desafio. Antes disso, a minha ligação ao Clube resumia-se ao facto de se tratar de um clube da minha cidade, representativo do desporto em Portugal, que sempre mereceu e merecerá a maior admiração.

O seu projecto veio substituir o que vigorava na sequência de um protocolo existente com o Milan, entretanto encerrado. Foi fácil a transição, no Departamento?
Não foi fácil. Quando entrámos em funções não tínhamos sequer material para captações. Não havia base de dados, nem atletas em quantidade suficiente para termos equipas competitivas. No entanto, com o trabalho árduo de uma equipa de treinadores, director técnico e coordenação, em três semanas de reuniões, e após muitos contactos, montámos uma estrutura de 11 equipas em competição, envolvendo um total de cerca de 170 atletas, 150 dos quais recrutados, com 24 treinadores (este número inclui treinadores principais, adjuntos, estagiários e treinadores de guarda-redes). Considero que criámos condições para a consecução dos objectivos a que nos propusémos nessa primeira época: ter equipas competitivas no 1º ano e recolocar o Clube como referência na formação desportiva, não só de Lisboa, como em Portugal. Destaco a presença dos Infantis B na fase final de futebol de 7 e o 2º lugar na Divisão de Honra do Campeonato Distrital alcançado pelos Infantis A, para além das conquistas em torneios importantes como a "Guimarães Cup" e a "Copa Foot21".

Encontramo-lo agora como líder da Equipa Técnica de Iniciados. Porquê a mudança?
A 2 meses do final da época senti a necessidade de reformular a minha vida profissional e pessoal. Senti que tinha o dever cumprido e que o meu projecto de formação para o Clube tinha pernas para andar. Por outro lado, queria voltar ao trabalho de campo, pois é aquilo que mais me satisfaz. Sempre acreditei que podia ser convidado para um projeto desafiante e foi o que aconteceu. O presidente do Clube de Futebol "Os Belenenes", Dr. António Soares, soube da minha disponibilidade e convidou-me para liderar a equipa de Iniciados A. Aceitei prontamente e considero o maior desafio profissional da minha curta carreira.

De onde lhe veio a motivação para abraçar esta carreira, de treinador?
O futebol, para mim, sempre foi muito mais do que apenas um desporto. Muito daquilo que sou aprendi com ele. Para além disso, tenho construído uma abordagem própria e uma identidade de treino consubstanciada ao longo dos anos, que me motiva a continuar a acreditar naquilo que faço.

Das pessoas (treinadores, jogadores ou outros) pelas quais se cruzou, tem alguém que gostasse de recordar em especial e porquê?
Recordar alguém em especial seria desvalorizar muitos daqueles com quem partilhei ou aprendi algo. Treinadores, jogadores, delegados, fisioterapeutas e família, todos, directa ou indirectamente, contribuem diariamente para o meu crescimento pessoal e profissional.

Enquanto treinador, tem alguma época mais especial que gostasse de destacar?
Todas elas tiveram aspectos positivos e muita aprendizagem. Até ao momento, a presente época (2013/2014) é a mais especial por ser a que se está a iniciar. Quero desfrutar e trabalhar muito, temos um grupo técnico e de jogadores fantástico.

E um jogo mais marcante? 
O próximo.

Em termos de futuro, até onde ambiciona chegar?
Pretendo continuar a desenvolver o meu trabalho. Quero aprender, reflectir e melhorar, para ser profissional de futebol a tempo inteiro.

No imediato, temos o Nacional de Iniciados à porta. O que se poderá esperar do Belenenses este ano?
O primeiro objectivo, transversal a todos os jogos e momentos de treino, é dignificar o símbolo que representamos. A responsabilidade e qualidade do trabalho que realizarmos deverá ser máximo. Podem esperar uma equipa trabalhadora, que lutará sempre pelo melhor resultado e classificação possíveis. É importante não nos dissociarmos dos compromissos formativos, potenciando as características e qualidades destes jovens, dotando-os das ferramentas necessárias para que possam continuar no Clube e chegar à equipa principal.

Fora disto, desenvolve alguma outra actividade profissional? Qual?
Sou professor de Educação Física e Personal Trainer.

E hobbies, que não envolvam futebol, tem algum que gostasse de partilhar?
Amigos e Música.

Como se descreveria a si próprio, como pessoa?
Deixo essa tarefa para os outros, sou suspeito!

Tem uma última mensagem que gostasse de acrescentar, à guisa de conclusão?
É um orgulho enorme e uma realização pessoal representar este Clube. Desejo uma excelente época desportiva a todas as suas equipas, desde os Traquinas aos Séniores.
Achei o texto acima:
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

0 Comentário/s:

Enviar um comentário