segunda-feira, 24 de março de 2014

Quintero foi “trunfo” para quebrar resistência do Belenenses

Postado Por: with Sem Comentarios
Um golo solitário de Quintero, já na fase final partida, deu ontem a vitória ao FC Porto, por 1-0, sobre o Belenenses, em partida da 24.ª jornada da Liga Zon Sagres.

O médio colombiano, trunfo lançado pelo técnico Luís Castro no segundo tempo, acabou por ser decisivo ao quebrar, aos 78 minutos, a resistência de um Belenenses voluntarioso, que jogou toda a etapa completar em inferioridade numérica, depois da expulsão de João Afonso, no final do primeiro tempo.

Com este resultado, os "dragões" não cedem terreno na perseguição a Benfica e Sporting, que também venceram os seus compromissos, enquanto a formação do Restelo, na estreia do técnico Lito Vidigal, ficou sozinha no último lugar do campeonato.

Para esta partida, o técnico Luís Castro foi forçado a operar importantes alterações no "onze", devido aos castigos de Danilo, Fernando e Quaresma, apostando em Ricardo, desta vez para o lado direito da defesa, e lançando Josué no meio-campo e Ghilas na frente de ataque.

Além de Ricardo, também Fabiano, Diego Reyes, titulares no último compromisso dos Dragões, para Liga Europa, na vitória frente ao Nápoles (2-1), repetiram a titularidade, e estreiam-se com a camisola azul e branca em jogos do campeonato.

Na turma do Restelo, o estreante Lito Vidigal optou por não operar grandes mudanças na equipa, relativamente à última jornada - derrota em casa frente ao Setúbal (1-3) -, promovendo, apenas, a titularidade de João Meira e Tiago Silva.

Apesar da mútua necessidade de ganhar, as duas equipas entraram com pouco dinamismo no jogo, protagonizando uns minutos iniciais mornos, praticamente sem oportunidades de golo junto às duas balizas, apesar de um domínio mais vincado dos “dragões”.

Nesta toada, o primeiro remate digno de registo aconteceu já depois dos 20 minutos, num remate de longe de Josué, sem a melhor pontaria.

Ainda assim, o lance teve o dom de fazer despertar a equipa de Luís Castro, que já perto da meia hora viu o árbitro Carlos Xistra anular um golo Jackson Martinez, por alegada falta sobre João Meira.

Pouco depois, foi Varela, num cabeceamento bem gizado a ver o golo negado pelo poste da baliza de Matt Jones, e Jackson Martinez a falhar o alvo com um remate pleno de oportunidade.

O Belenenses foi aguentando a pressão contrária e, quando parecia que tinha poucos argumentos para contrapor, esboçou uma reação que “gelou” o Dragão.

Aos 35 minutos, Fernando Ferreira tentou a sorte de longe, com um remate forte, que Fabiano susteve, e no lance seguinte foi a vez de Filipe Ferreira deixar a mais séria ameaça, com uma boa jogada, que terminou no poste da baliza portista.

Já nos instantes finais desta primeira etapa, o crescimento da formação do Restelo sofreu um sério revês com a expulsão de João Afonso. O defesa central do Belenenses travou uma desmarcação de Jackson Martinez, deixando a equipa em desvantagem numérica para todo segundo tempo.

Para tentar explorar essa debilidade do adversário, o técnico do FC Porto lançou Quintero para o segundo tempo, com o médio colombiano a contribuir para uma entrada de grande pressão dos locais.

No entanto, apesar do domínio, os azuis e brancos sentiam dificuldades para encontrar brechas numa coesa defesa do Belenenses que ia segurando os ímpetos portistas.

Já perto dos 70 minutos, Defour conseguiu espaço para rematar, após livre de Carlos Eduardo, mas iniciativa do médio portista teve uma das defesas da noite de Matt Jones.

A dez minutos do final, a resistência do Belenenses foi, finalmente, dobrada pela insistência do FC Porto.

Numa jogada de insistência, Quintero surgiu desmarcado para um remate forte que inaugurou o marcador.

O lance galvanizou o colombiano, que pouco depois viu a barra devolver-lhe um pontapé livre, no último lance digno registo do encontro, mantendo-se, assim, o 1-0 final.
Achei o texto acima:
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

0 Comentário/s:

Enviar um comentário