domingo, 24 de março de 2013

Fusal: Crónica do Belenenses - Torpedos

Postado Por: with Sem Comentarios
A equipa de futsal do Belenenses venceu ontem a formação de Os Torpedos, actual 13º classificado, por concludentes 8-3, em jogo da 19ª jornada do Campeonato Nacional da II Divisão – Série B, disputado no Pavilhão Acácio Rosa, com uma boa moldura humana, reforçando a liderança na classificação.

Foi um Belenenses melhor, em relação aos últimos jogos, aquele que surgiu no Pavilhão Acácio Rosa, com mais entrega, com maior disponibilidade física, mais rápido nas transições e mais solidário, mostrando estar em crescendo de forma, o que nos deixa mais optimista para os jogos que faltam no campeonato.

A nossa equipa entrou bem no encontro, tendo inaugurado o marcador logo aos 2 minutos, por intermédio de Bruno Pinto, num remate de meia-distância, na sequência de uma jogada de insistência do nosso ataque.

Os minutos seguintes trouxeram várias oportunidades de golo para o Belenenses, com Drula, Canina e Bruno Martins a estarem muito próximos de ampliarem o marcador, sendo que as poucas saídas do adversário para o ataque encontraram pela frente Roger em bom plano, defendendo com categoria alguns lances de perigo do adversário.

O segundo golo do Belenenses surgiu apenas aos 11 minutos, novamente por intermédio de Bruno Pinto, após assistência de Bruno Martins, na sequência de uma triangulação entre os dois jogadores.

O Belenenses dominava o encontro, perante um adversário com dificuldade em suster o nosso jogo, tendo Drula, aos 13 minutos, elevado o marcador para 3-0, com uma emenda ao segundo poste na sequência de contra-ataque 2x0 com assistência de Tiago Carvalho.

No minuto seguinte, novo golo da nossa equipa, novamente por intermédio de Drula, com um remate habilidoso a desviar a bola do guarda-redes adversário, na recarga a um primeiro remate de um companheiro de equipa.

Ainda no minuto 14, o Belenenses atingiu a quinta falta, e fruto dessa situação tirou um pouco o pé do acelerador, deixando de pressionar tanto o adversário, fazendo com que fosse a formação dos Torpedos a dispor de duas boas oportunidades para reduzir o marcador, mas uma boa defesa de Roger no primeiro lance, e um remate por cima da baliza a poucos centímetros da linha de golo impediram esse feito.

Antes do intervalo seria ainda o Belenenses a estar mujto perto do golo, naquela que foi a melhor jogada da primeira parte, com Zé Daniel a responder a uma solicitação para assistir Drula, que falhou a concretização por muito pouco.

As equipas foram para os balneários com um 4-0 no marcador, que espelhava a superioridade da nossa equipa e premiava a boa exibição conseguida na primeira parte.

O regresso dos balneários não podia ter sido melhor, com o Belenenses a ampliar o marcador para 5-0, logo aos 21 minutos, por intermédio de Bruno Pinto, após um brilhante passe rasgado de Bruno Martins, que valeu mais de meio-golo.

A perder por 5-0, a formação dos Torpedos, orientada pelo nosso antigo treinador Manuel Jorge, que teve uma calorosa recepção antes do início do jogo, apostou no 5x4 a partir dos 22 minutos, com o nosso ex-atleta André Amarante a actuar como guarda-redes avançado.

Alguma dificuldade da nossa equipa em defender o 5x4 da equipa adversária fez com que a formação dos Torpedos reduzisse o marcador para 5-2, com um golo aos 23 minutos e outro aos 25 minutos, este último na marcação de uma grande penalidade, colocando alguma pressão sobre a nossa equipa.

No entanto, aos 26 minutos, o Belenenses elevou o marcador para 6-2, por intermédio de Cautela, com um remate cruzado de primeira após pontapé de canto marcado por Bruno Pinto, colocando um ponto final na incerteza do vencedor do encontro.

Este golo do Belenenses desmotivou por completo o adversário, que continuou a jogar em 5x4, mas sem grande acutilância, fazendo muita posse de bola mas arriscando pouco na procura do golo, sendo que a nossa defesa também se adaptou melhor, cortando mais linhas de passe e evitando situações de perigo eminente para a nossa baliza.

Aos 29 minutos, foi a vez de Roger brilhar, com três fantásticas intervenções no espaço de segundos, a última delas, com um golpe de rins a evitar um golo de chapéu, merecendo grandes aplausos do público presente nas bancadas do Acácio Rosa.

Sem surpresa, o Belenenses elevou para 7-2, aos 31 minutos, por intermédio de Tiago Carvalho, após uma intercepção de bola junto da nossa área, concretizando fácil com remate colocado para a baliza deserta do adversário.

Com o resultado já decidido, ainda houve tempo para a equipa adversária reduzir para 7-3 aos 34 minutos, numa transição rápida após saírem da pressão alta dos nossos atletas junto da área contrária.

Aos 35 minutos, Amarante viu o segundo cartão amarelo e respectivo cartão vermelho, colocando a formação dos Torpedos em inferioridade numérica durante dois minutos, mas o Belenenses, a jogar em 4x3, o melhor que conseguiu nesses dois minutos foi colocar um remate na trave da baliza contrária, por intermédio de Canina.

Nos últimos minutos, Carlos Teixeira apostou também no 5x4, cortando o ritmo ao adversário e fazendo mais posse de bola, tendo o Belenenses conseguindo ainda, no derradeiro minuto, elevar para 8-3, por intermédio de Cautela, com um remate colocado sobre o guarda-redes adversário.

Com esta vitória, e fruto da derrota caseira do até agora segundo classificado, Quinta dos Lombos, a nossa equipa reforçou a liderança do campeonato, tendo agora 5 pontos de vantagem sobre a formação do Loures, nosso adversário na próxima jornada, vendo aumentado para 6 pontos a vantagem sobre o terceiro classificado, o primeiro que não sobe de divisão, quando faltam apenas sete jornadas para terminar o campeonato.

Belenenses: Roger (Gr); Zé Daniel, Canina, Drula (2 Golos) e Bruno Pinto (3 Golos).
Jogaram ainda: Vando (Gr); Bruno Martins, Tiago Carvalho (1 Golo), Cautela (2 Golos) e Osvaldo. Não foram utilizados: Leandro e Rafael Bocum.

Resultado Final:
Belenenses 8 - 3 Os Torpedos
Achei o texto acima:
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

0 Comentário/s:

Enviar um comentário