terça-feira, 11 de março de 2014

Presidente não existe razão para denúncia do acordo parassocial

Postado Por: with Sem Comentarios
O presidente do Belenenses, António Soares, afirmou hoje que "não existe qualquer justificação" para que o acionista maioritário da SAD tenha denunciado o acordo parassocial e frisou que o clube "vai defender os seus interesses". Ainda assim, em declarações à Lusa, António Soares não quis concretizar as razões que levaram a Codecity Sports Management (CSM) - empresa liderada por Rui Pedro Soares, que detém a maioria do capital social da SAD - a denunciar o acordo, por alegado "incumprimento do clube".

"Só eles poderão dizer quais os objetivos que levaram a Codecity a denunciar o acordo parassocial. Eu tenho a minha opinião, tenho uma ideia, mas não a poderei dizer. No entendimento deles, há algumas situações que o clube incumpriu, mas isso não é verdade. Não há fundamento para a denúncia do [acordo] parassocial", referiu.

O presidente do clube do Restelo não encontra "justificação" para esta decisão, pelo que já entregou o caso ao departamento jurídico do clube, para que este analise e tome as "medidas adequadas".

"Da nossa parte, isto não tem justificação e, como tal, iremos acionar os mecanismos ao nosso alcance para defender os interesses do clube. Os advogados do clube estão a estudar a situação, para poderem adotar as medidas adequadas", sublinhou.

No acordo parassocial assinado entre o clube e a CSM, há cerca de ano e meio, estava prevista uma opção de recompra da SAD por parte do clube, além do direito de preferência numa venda da sociedade a terceiros e a obrigatoriedade da CSM permanecer no capital da SAD até 2016.

No entanto, António Soares não acredita que haja intenção da CSM em vender a participação a outra empresa, embora considere que o acordo parassocial seja um entrave a esse tipo de operação.

"Não quero acreditar que tivesse sido essa a razão para a denúncia do acordo parassocial, que obviamente colocava algumas limitações a esse tipo de operação. Acho difícil que alguém se interesse pelo negócio do futebol, onde claramente é difícil ganhar dinheiro", concluiu.

A Lusa tentou contatar o presidente da SAD, Rui Pedro Soares, para obter um esclarecimento sobre as razões que levaram à denúncia do contrato, mas sem sucesso.

A Codecity Sports Management detém 51 por cento do capital social da SAD do Belenenses, sendo a restante percentagem dividida por Controlinveste (32 por cento), clube (10) e pequenos acionistas (sete).
Achei o texto acima:
← Mensagem mais recente Mensagem antiga → Página inicial

0 Comentário/s:

Enviar um comentário